Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

IV Capítulo

IV Capítulo

11 de Maio, 2018

Fès num Vap Vup

Fui ali até Fès num instantinho. Uma semana, em trabalho, e por isso um pouco mais limitada em termos de tempo, mas foi suficiente para ficar com uma ideia completamente diferente de Marrocos.

Medo de andar por ruas e ruelas? De ser assediada descaradamente? Nada disso. Só posso falar bem em relação à receção do povo marroquino, um “Bienvenue” em cada esquina, convites para jantares típicos (todas a mães fazem o “melhor” couscous, curious) e até aniversários, conhecer sítios com vistas de deixar qualquer um de queixo caído, uns bons regateios e no geral uma experiência fantástica.

20180501_181501.jpg

 

O receio de atentados terroristas é igual ou até maior do que vemos na Europa, com todas as entradas da cidade com bloqueios policiais a controlar entradas e saída. O medo é comum a qualquer ser humano, e por vezes estamos estão ocupados a olhar para os nossos umbigos europeus que nos esquecemos que, apesar das tragédias que já ocorreram por cá, do outro lado do mediterrâneo é uma constante.

 

Mas passando a positive vibes…

Visitei a Université Euro-Méditerranéenne de Fès, uma nova universidade que até dá vontade de voltar à escola (ideias diabólicas) e que recomendaria a qualquer um que esteja a pensar estudar fora. O campus ainda está em construção, mas avança a um ritmo escandaloso, e prepara-se para seguir o modelo americano em termos de estrutura, com residências, espaços de convívio, desporto e sabe-se lá mais o quê, ainda com o plus de ser um eco-campus, apostando nas energias renováveis. Podem ir espreitar o site e ficar tão maravilhados quanto eu.

BeFunky-collage.jpg

Felizmente a trupe ainda teve um tempinho para ir visitar a Medina de Fès mas deixem-me que vos diga que é um bocado overwhelming. Chegámos por volta da hora de almoço e acabamos por ficar a jantar por lá, só para vos dar uma ideia do tempo que lá estivemos, e dos 16 souks que se podem contar na Medina, visitámos apenas 6. E na subida de volta para o Bab Boujloud, uma das entradas da Medina, é que nos apercebemos de tudo o que tínhamos andado (suspirei várias vezes e nunca desejei tanto ter um burro, true story).

Em relação às compras, é uma perdição, malas, calçado, traquitanas de decoração,especiarias, tudo super giro e a preços super simpáticos, o que nos faz entrar em modo saldos e perder a cabeça! Só não deixei lá um rim porque tinha noção que não me ia caber tudo na mala (e eles no aeroporto só pesam a mala, senão a falta de rim até compensava o peso secalhar).

BeFunky-collage (1).jpg

 

Se quiserem saber mais ou tiverem perguntas deixem nos comentários que eu cá estarei para responder. Entretanto…roam-se de inveja! MUAHAHAHA

 

P.S.: Não vale a pena roerem-se, mais vale irem lá que até uma viagem bastante em conta.

2 comentários

Comentar post