Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IV Capítulo

IV Capítulo

15 de Junho, 2018

DIY | Viajar a solo

 

Não é do agrado de todos, até eu não me imaginava a fazê-lo, no entanto, aconteceu.

 

Uma viagem com companhia que acabou por se tornar numa viagem a solo, e numa experiência fantástica. Bem…lá acompanhada fui, mas apenas de algum receio, aborrecimento e muita expectativa.

20180429_145943new.jpg

 

É difícil imaginarmo-nos sozinhos num outro país, e quanto mais longe de “casa” pior. Mas com o planeamento devido e com uma predisposição para nos adaptarmos, tudo corre pelo melhor. A verdade é que nos vemos numa situação em que acabamos por ser muito mais abertos a novas amizades, novas descobertas e uma mentalidade completamente diferente daquela a que estamos habituados na nossa zona de conforto.

 

Mas claro que para evitar percalços há que planear tudo devidamente (pelo menos dentro do possível).

 

Ficam aqui então algumas dicas:

  • Organizem-se ao máximo, vão já com reservas feitas para as estadias, deslocações, etc, e deixem todos os contactos dos locais onde vão ficar a familiares ou amigos;
  • Pesquisem bastante acerca do país que vão visitar, segurança, costumes e tudo o que vos pode ser útil num momento de aperto, como o número de emergência, contactos da embaixada portuguesa e também por exemplo os contactos do hospital mais próximo dos locais onde vão ficar;
  • Digitalizem todos os vossos documentos e criem uma pasta no vosso mail ou cloud, assim poderão sempre ter acesso a tudo em qualquer computador, mesmo que fiquem sem os ditos documentos ou o vosso telemóvel;
  • Informem-se acerca dos serviços de roaming ou até da opção de comprarem no país um cartão de telemóvel que vos permita estar contactáveis em todos os momentos;
  • Tenham sempre convosco um cartão com a morada do vosso hotel, hostel, airbnb ou whatever (eu costumo tirar também uma foto com o telemóvel, mas a verdade é que se ficar sem bateria não nos vale de nada), de forma a que se se perderem podem meter-se num táxi, mostrar a morada (super útil quando não se fala a língua) e seguir caminho sem problemas;
  • Tenham convosco, na vossa carteira, bolsa do passaporte ou algo assim, informação acerca do vosso tipo sanguíneo, alergias ou condições médicas, tanto em inglês como na língua do país (na falta de melhor peçam uma ajudinha ao google translate, pode não ficar da forma mais correta, mas pelo menos a informação está lá), assim, no caso de algo acontecer, porque também nos temos de preparar para o pior, será mais fácil para um médico aceder à informação. Nos casos de doenças ou alergias graves provavelmente será melhor ter aquelas chapinhas para usar ao pescoço com essa informação;
  • Não se esqueçam de fazer um seguro de viagem, em geral, nos outros países os custos dos cuidados de saúde costumam ser exorbitantes, e assim ficam com a vida facilitada, e em caso de necessidade são recâmbiados para Portugal num vap vup. Não se esqueçam também de deixar uma cópia do seguro com familiares ou amigos.

 

E de momento é tudo o que me lembro. Se tiverem mais dicas deixem nos comentários, pois são sempre bem-vindas. 😉

 

07 de Junho, 2018

It’s sheet day!

A “moda” das sheet masks veio para ficar! Tanto numa Primark como numa Sephora, há p’ro menino e p’ra menina, p’ra borbulha e p’ra pele caída.

20180409_193104new.jpg

 

E embora seja novidade para alguns, para qualquer aficionada de k-dramas ou k-pop já não surge como algo de novo, uma vez que são de origem sul coreana. Como por exemplo aqui a Je, que já é fã disto há algum tempo.

 

As sheet masks são, como o nome indica, máscaras faciais (algo parecidas às típicas máscaras de carnaval, com orifícios para os olhos, nariz e boca) que consistem numa espécie de tecido, normalmente de algodão ou algo do género, embebidas em soros ou séruns e que “colamos” à nossa cara.

 

Existem várias marcas que disponibilizam estas sheet masks, e são inúmeras as opções relativamente aos tipos de benefícios associados a cada uma. Qualquer que seja a forma da cara, o tipo de pele, o efeito que se pretende alcançar, vocês encontram.

 

A pele mais macia e hidratada, menos irritada e com um maior brilho são efeitos que constatamos de imediato, já outros efeitos, como anti-rugas, branqueamento, etc, levam o seu tempo até serem visíveis. E embora tenha visto “vários desafios” que consistiam em usar, por exemplo, uma sheet mask todos os dias durante uma semana, não recomendo que o façam. Como já toda a gente deve saber, em exagero até o bom faz mal. O ideal será usarem uma sheet mask sempre que acharem que a vossa pele está a pedir uma ajudinha ou antes de algum evento especial, não excedendo o uso a mais de 2 ou 3 vezes por semana.

 

Agora na parte “fica a dica”, se já têm uma prateleira do frigorifico para os vernizes, aproveitem e juntem às vossas sheet masks à festa, acreditem que ajuda em termos de resultados.

 

A melhor altura para as utilizar é à noite. Após limparem a vossa pele coloquem a máscara e relaxem um bocadinho, mas tenham em atenção o tempo indicado no modo de utilização, deixar mais tempo não faz melhor. Ah! E nunca, mas nunca, adormeçam com a vossa máscara, o próprio tecido iria secar durante a noite e acabar por vos secar a pele consequentemente.

 

Após retirarem a máscara, não lavem a cara e massagem a pele de forma a absorver o produto, o excesso de produto poderão ainda espalhar por outras partes do corpo, como o pescoço, ou, como eu cá gosto de fazer, espalhar nos cotovelos, que é uma zona em que a hidratação nunca é demais.

 

Qualquer dúvida, apitem ai nos comentários! 😉

05 de Junho, 2018

Yesstyle? Oh yesss!

Para quem eventualmente ainda não conheça o yesstyle.com, é um site que disponibiliza a nível global produtos de origem asiática, como maquilhagem coreana e japonesa, assim como outros artigos, desde roupa a acessórios.

 

Eu tenho que admitir que tenho um mega crush por k-beauty, e apesar de ter vindo bem fornecida quando visitei a Coreia do Sul, a realidade é que já passou um bom tempo e nunca ficamos satisfeitas, não é verdade? Mais é sempre bem-vindo. Até há pouco tempo utilizava muito o site da Etude House, que enviava para Portugal, mas há cerca de 2 meses, devido às novas politicas de privacidade, eles decidiram deixar de enviar para a Europa e eu tive então de encontrar outras opções.

 

Etude House, Tony Moly, Missha, Memebox, 3CE, todas as marcas que possam imaginar são disponibilizadas lá, a preços bem simpáticos, e se a encomenda for superior a €30 o envio é gratuito.

 

Então lá me aventurei neste mundo de perdição e controlando-me bastaaaante, encomendei apenas 4 produtos, que são completas novidades para mim:

20180604_221225new.jpg

 

A encomendou demorou menos de 2 semanas a chegar (muito mais rápido do que estava à espera), bem acondicionada, e entregue através dos CTT, no entanto o site permite fazer o acompanhamento da encomenda através da DHL, fornecendo um tracking ID.

 

Depois de “brincar” um bocadinho mais com os produtos dou-vos novidades! 😉

 

P.S.: Tenho só cerca de 40 produtos na wishlist... 🙄

01 de Junho, 2018

Diz que é Dia Mundial da Criança!

Pois é criançada que me acompanha, mais um dia em que não percebemos porque raio é que já não temos direito a uma prendinha.

2bfyci.jpg

 

Dia de reminiscências agridoces, em que recordamos os bons velhos tempos, em que o nosso compromisso mais importante era acordar a horas de ver os nossos desenhos animados favoritos…em que o maior drama era a Maria Amélia não querer ser nossa amiga ou o jantar ser peixe cozido.

 

Um pequeno à parte, porque é que todos os pais usam a conversa das criancinhas que passam fome para nos convencerem a comer? Os meus nunca se safaram com essa, levavam sempre com um “então dá-lhes a minha comida, eu não me importo, a sério.”

 

Ah…a sorte que é ser criança, comer, dormir e brincar. Sinto falta do meu pijama da sailor moon, do meu outfit das tartarugas ninja, das minhas barbies massacradas…bem, nem vale a pena entrar por aí senão nunca mais daqui saímos. Acho que sofro de síndrome de peter pan, por mim ficava criança para sempre (deve ter sido por isso que me fiquei pelo metro e meio).

 

Mas para toda a pequenada e todas as “child at heart”, Feliz Dia da Criança!

20180601_201601.jpg